64435 visitas desde 23/05/2010 ::CAMARA DE INOCÊNCIA ::
Terça-feira, 24 de Setembro de 2019.
Min. 23° / Máx. 30°
Atendimento
(067) 3574-1567
RUA FRANCISCO ALBINO, N.511
Cep: 79.580-000
Tamanho da fonte  A- A+

 

Notícias
15/03/2017, 14:42:00
Presidente da FETEMS falou da Reforma da Previdência em palestra no plenário da Câmara Municipal
O presidente da FETEMS falou da sua preocupação com a reforma proposta pela Presidência da República que, segundo ele, tem como objetivo não deixar o trabalhador aposentar.
 
 

Presidente da FETEMS Roberto Magno Botareli Cesar / Foto: Emerson Gomes

 
 

A Reforma da Previdência foi tema de palestra, realizada no dia 10 de março, no plenário da Câmara Municipal. Proferido pelo presidente da FETEMS (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Magno Botareli Cesar, o debate contou com a presença dos associados do SIMTED e convidados.

O presidente falou da sua preocupação com a reforma proposta pela Presidência da República que, segundo ele, tem como objetivo não deixar o trabalhador aposentar. Ele citou como exemplo uma professora que atualmente aposenta com 50 anos de idade, a partir da aprovação da PEC terá que trabalhar mais 15 anos para obter o benefício, quando atingir 65 anos. Ainda segundo o palestrante, os autores da proposta não conhecem a realidade de uma escola pública de educação básica. “Como um professor com 65 anos de idade vai conseguir atuar em uma sala de aula com 30 alunos? Podem ocorrer muitas coisas que vão prejudicar a vida do professor, porque mentalmente ele não vai estar em condições e exercer a profissão”, falou Roberto.

Botareli também comentou o quanto será difícil para um jovem que entra no mercado de trabalho, após a aprovação das medidas, se aposentarem com integralidade nos vencimentos. “Caso essa Reforma seja aprovada, será preciso contribuir 49 anos e ter no mínimo 65 anos de idade para aposentar. Outro aspecto nefasto da Reforma da Previdência é igualar a idade entre homens e mulheres para fins de aposentadoria, acaba com as aposentadorias especiais e modifica o sistema de contribuição dos agricultores familiares e homens do campo”, explicou.

“Diante disso essa Reforma deveria receber outro nome, que é a destruição do sistema previdenciário público em nosso País. A possibilidade de alguém se aposentar com integralidade é praticamente nula e a carreira dos servidores é destruída. Foram anos e anos de luta para conquistar um salário mais digno e com uma decisão sem debate com as categorias querem exterminar com essas conquistas”, avaliou o presidente da FETEMS.

Por Emerson Gomes